Ausências
   



BRASIL, Mulher
MSN - carolina_angrisani@hotmail.com
   
Histórico
    Outros sites
    Alberto Guzik
    Andréa Camargo
    Célia Ribas
    Chico Ribas
    Cléo De Páris
    David Cejkinski
    2/3 dois terços
    Elaine Grava
    Elaine Grava
    fotolog Zé Carlos Barreto
    Gritos de um mudo - Henrique Mello
    Ivam Cabral
    Justine
    Laerte Késsimos
    Lenise Pinheiro e Nelson de Sá
    Lucas Beda
    Portos e sóis
    robson catalunha
    Rodolfo Garcia Vasquez
    satyros
    Sérgio Salvia Coelho
    Zé Carlos Barreto
    Zé Carlos de Andrade
    Vanessa Meira

    Votação
    Dê uma nota para meu blog

     


    O Corpo

    A questão do corpo não sai da minha cabeça, e nem da minha vida. É muito louco afirmar isso, porque se apenas tomamos esse corpo emprestado para viver essa existência de agora, por que ele se torna tão importante em tudo que fazemos. O corpo é a gente mesmo, ele toma a forma de quem somos, é uma expressão do nosso interior, seja conscientemente ou não, assim é que é. E eu particularmente tenho pirado um pouco com essa história toda, na real nunca dei muita importância para o corpo em si, tanto que sempre (entenda, desde de que me conheço por gente), estive acima do peso, mas nunca liguei muito pra isso. Essa importância acabou por vir, por causa de uma pressão social, no que diz respeito aos padrões de beleza etc e tal. De uns tempos pra cá, comecei sim a tomar consciência do meu corpo para que pudesse me utilizar melhor dele no meu ofício, que é ser atriz. Bem, e depois dos trinta confesso que também comecei a prestar um pouco mais de atenção no que entra por essa santa boquinha. Sim, somos o que comemos. E não quero mais me sentir inchada pelos alimentos gordurosos que comi na semana passada, então venho fazendo escolhas mais saudáveis, tenho praticado exercícios físicos, coisas que fazem eu me sentir muito bem. E agora, que estou nessa viagem toda do corpo, portanto uma viagem em mim mesma, aumenta mais ainda a reflexão sobre tudo isso. No quanto, a minha própria carreira tomou determinado rumo, em função do próprio corpo, pela questão dos arquétipos, dos biotipos e de onde me enquadro nisso tudo. Tendo o corpo que tenho, ou seja, sendo eu mesma. Ai! É uma confusão, mas semestre que vem devo entrar no programa de extensão da Puc chamado: A imagem corporal na contemporaneidade, quem sabe assim as coisas ficam mais claras pra mim?



    Escrito por Carolina Angrisani às 16:42
    [] [envie esta mensagem] []


    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]